A Cromoterapia é talvez a técnica terapêutica mais antiga empregada pelo Homem porque a luz e a cor, doadas pela Natureza, foram desde sempre reconhecidas como um método para manter e conservar o organismo equilibrado e em harmonia. No Séc. XX houve um grande interesse dos pesquisadores das áreas da Biologia e da Física sobre a influência das diferentes cores nos organismos. Isto foi um momento importante para a evolução da Cromoterapia, comprovando que ela é um processo complexo que envolve efeitos físicos, emocionais e subconscientes. A Cromoterapia é um processo complexo que envolve efeitos:

  • físicos (a existência de uma cor implica a existência de uma luz com determinadas características de onda e de substância cuja composição química favoreça a absorção ou reflexão dessa luz),
  • emocionais (as diferentes cores impressionam de modos diversos o nosso sistema nervoso, criando estados emocionais diferentes),
  • subconscientes (ao fixar a atenção numa determinada cor, desencadeamos processos inconscientes de controle das funções orgânicas que essas cores evocam).

As células agem inconscientemente com a incidência de raios luminosos, de acordo com a necessidade do nosso campo eletromagnético, daí a necessidade de cor na nossa vida e procuramo-la, de alguma forma, nos alimentos, no vestuário, nos ambientes, etc. Acredite na sua intuição, se vem ao seu pensamento alguma cor para o uso no dia-a-dia, muitas vezes pode ser o seu corpo a necessitar da energia dessa cor!

Aplicações terapêuticas da Cromoterapia:

  • Alívio dos sintomas de determinada doença através de uma cor específica;
  • Melhoria significativa do bem-estar físico e mental;
  • Diminuição do cansaço físico;
  • Diminuição dos transtornos do sono;
  • Estimulação do Sistema Nervoso Central e Periférico.